O real perigo da privacidade não é a mineração de dados das grandes corporações ou a vigilância governamental, mas sim ambos

Entre os posts que saem na grande mídia, provavelmente essa é a opinião mais fundamentada e que tem uma maior visão sobre a questão da privacidade e a mineração de dados, na qual faz a relação entre o que as grandes empresas sabem sobre nós, a vigilância governamental; e como essas organizações estão intrinsecamente ligadas e porque isso é uma ameaça a privacidade como um todo.

O artigo inicia com uma declaração na qual para quem realiza mineração de dados pode ser trivial, mas para pessoas comuns chega a ser assustador em termos de como corporações tem total conhecimento dos nossos dados pessoais:

It is said that a Visa executive – as in Visa, the credit card system – can predict your divorce one year ahead of yourself, based on your buying habits. There’s a recent telling anecdote where Target, the chain of stores, knew that a teenage woman was pregnant before her parents knew. If our purchase habits give away our life and privacy to this degree – imagine what Google or Facebook would be able to predict, if they wanted to?

Sob o aspecto governamental, como já foi postado anteriormente sobre a TIA (Total Information Awareness) na qual após uma parceria entre a Google e a CIA (Uma típica parceria publico privada) esse programa foi estranhamente colocado na geladeira pelo governo americano.

Esse quote mostra bem sobre o que o governo é capaz de fazer com as suas informações:

So let’s instead jump to what governments can do. Many enough countries now have blanket wiretapping laws in place that let them wiretap all their own citizens’ net traffic, all other citizens’ traffic, or both. (This would have been absolutely unthinkable just a decade ago.) Additionally, the security services generally share raw data between them – so just because you’re not tapped in your home country, that doesn’t mean your local security service doesn’t have a copy of everything you’ve ever typed or sent online; it can be tapped anywhere.

Governments are not only able to knock down your door when you behave in a way they don’t approve of. They even like doing exactly that, and see it as their job. This is something of a problem, and quite a severe one.

 

Dentro dessa abordagem que o autor propõe, cabe ressaltar que em alguns anos haverá a necessidade de uma regulação a respeito da aquisição/controle/comercialização das informações pelas empresas bem como maiores controles por parte do setor governamental. A discussão é boa e o artigo coloca um interessante ponto de vista. Vale a leitura.

O real perigo da privacidade não é a mineração de dados das grandes corporações ou a vigilância governamental, mas sim ambos

Estados Unidos relaxa os limites do uso de dados para prevenção do Terrorismo

Pessoalmente não gosto da gestão do Presidente Barack Obama, devido a inúmeros aspectos que vão desde a falta de comprovação do seu local de nascimento, relações não explicadas entre líderes islâmicos que financiaram a sua carreira estudantil, e em especial e mais preocupante o relaxamento iniciado em sua gestão do departamento de Homeland and Security (algo como Segurança de Estado).

Com esse prólogo, é que entra esse aspecto da segurança nacional que é de extrema importância. A Mineração de Dados aplicada a segurança de estado pode auxiliar de maneira quase que providencial como:

  • Análise de padrões de utilização de consumo de imigrantes;
  • Utilização de Cartões de Crédito em pessoas sob suspeita;
  • Reconhecimento de padrões de incidência criminal em determinadas regiões do país;
  • Mapeamento de rede de conexões de presos por práticas terroristas.

A maior mudança, sem sombra de dúvidas é a redução de Data Gathering (Aquisição, Retenção, Análise, e Armazenamento de Dados) do período de 5 anos para 180 dias; o que é extremamente péssimo em todos os sentidos de análise de dados. Para se ter uma idéia, se um suspeito de atividades terroristas comprar em 1 Jan 700 Kg de Fertilizante (Utilizado para criação de Bombas, como as que geraram o atentado em Oklahoma) em 10 de Jul o mesmo pode simplesmente comprar outros tipos de materiais para formulação da bomba, porém os dados adquiridos em Jan já não estarão disponíveis para análise; o que é sem dúvida uma aberração em termos de análise de dados só para ficar em um exemplo em particular.

Uma péssima medida que não somente fortalece os imimigos externos dos Estados Unidos, bem como fortalece e afrouxa a fiscalização para que não haja o terrorismo doméstico.

Para saber mais:

US Relaxes Limits on Use of Data in Terror Analysis.

National Counterterrorism Center New Guidelines

NCTC – 2012

National Counterterrorism Center Previous Guidelines

NCTC – 2008

Estados Unidos relaxa os limites do uso de dados para prevenção do Terrorismo

Bigger data, better intelligence for government

Em uma ótima iniciativa o Governo dos Estados Unidos está realizando um projeto para disponibilizar uma plataforma de dados públicos para todas os interessados em realizar análises sobre dados governamentais. É mais do que justo que essa iniciativa tenha um foco por todos os setores da sociedade, em especial o acadêmico; pois não há objetivo mais proveitoso para a análise de dados do que melhorar a vida das pessoas.

Bigger data, better intelligence for government