Falhas na abordagem de Deep Learning: Arquiteturas e Meta-parametrização

O maior desafio corrente enfrentado pela indústria no que diz respeito à Deep Learning está sem sombra de dúvidas na parte computacional em que todo o mercado está absorvendo tanto os serviços de nuvem para realizar cálculos cada vez mais complexos como também bem como investindo em capacidade de computação das GPU.

Entretanto, mesmo com o hardware nos dias de hoje já ser um commodity, a academia está resolvendo um problema que pode revolucionar a forma na qual se faz Deep Learning que é no aspecto arquitetural/parametrização.

Esse comentário da thread diz muito a respeito desse problema em que o usuário diz:

The main problem I see with Deep Learning: too many parameters.

When you have to find the best value for the parameters, that’s a gradient search by itself. The curse of meta-dimensionality.

Ou seja, mesmo com toda a disponibilidade do hardware a questão de saber qual é o melhor arranjo arquitetural de uma rede neural profunda? ainda não está resolvido.

Este paper do Shai Shalev-Shwartz , Ohad Shamir, e Shaked Shammah chamado “Failures of Deep Learning” expõe esse problema de forma bastante rica inclusive com experimentos (este é o repositório no Git).

Os autores colocam que os pontos de falha das redes Deep Learning que são a) falta de métodos baseados em gradiente para otimização de parâmetros, b) problemas estruturais nos algoritmos de Deep Learning na decomposição dos problemas, c) arquitetura e d) saturação das funções de ativação.

Em outras palavras, o que pode estar acontecendo em grande parte das aplicações de Deep Learning é que o tempo de convergência poderia ser muito menor ainda, se estes aspectos já estivessem resolvidos.

Com isso resolvido, grande parte do que conhecemos hoje como indústria de hardware para as redes Deep Learning seria ou sub-utilizada ao extremo (i.e. dado que haverá uma melhora do ponto de vista de otimização arquitetural/algorítmica) ou poderia ser aproveitada para tarefas mais complexas (e.g. como reconhecimento de imagens com baixo número de pixels).

Desta forma mesmo adotando uma metodologia baseada em hardware como a indústria vem fazendo, há ainda muito espaço de otimização em relação às redes Deep Learning do ponto de vista arquitetural e algorítmico.

Abaixo uma lista de referências direto do Stack Exchange para quem quiser se aprofundar mais no assunto:

Algoritmos Neuro-Evolutivos

Aprendizado por Reforço:

Miscelânea:

PS: O WordPress retirou a opção de justificar texto, logo desculpem de antemão a aparência amadora do blog nos próximos dias.

 

Anúncios
Falhas na abordagem de Deep Learning: Arquiteturas e Meta-parametrização

Deixe o seu comentário inteligente e educado! :o)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s