O Atirador de Aurora em Perspectiva

Alguns atrás dias postamos algo a respeito desse assunto, indicando que com uma seleção de variáveis simples; e posterior análises o atirador de Aurora poderia ter sido facilmente identificado sob a perspectiva da mineração de dados.

Nessa entrevista do Robert L. Mitchell na qual ele chama um dos ícones da mineração de dados o Dean Abbott (autor do bom artigo An Evaluation of High-end Data Mining Tools for Fraud Detection) o qual o mesmo dá a seguinte declaração:

“While it certainly was the case here that [the shooter] purchased a lot of stuff and that there didn’t appear to be a good, law-abiding reason for him to purchase the gear, it is unclear if his pattern of purchases is unusual”  when examined in the context of the purchases of hundreds of millions of other citizens, he says.  For example, given the universe of more than 400 million people, it might very well be possible that 20,000 people made similar volumes of purchases in the same time period. But how many of those are exhibiting risky behavior?

Não tirando o mérito e tudo o que o Dean já fez pela mineração de dados, mas pegar um especialista em target marketing e projetos ligados à área comercial para tratar de um tema altamente criminal não parece ser algo inteligente, ou bem intencionado quando para se colocar a mineração de dados à mesa.

Há no mínimo três fontes primárias no assunto que são os livros Investigative Data Mining for Security and Criminal Detection do Jesus Mena, Data Mining and Predictive Analysis: Intelligence Gathering and Crime Analysis do Colleen McCue e o Data Mining for Intelligence, Fraud & Criminal Detection: Advanced Analytics & Information Sharing Technologies do Christopher Westphal.

Esses livros (que já estão na fila para serem resenhados aqui no site) tratam exatamente desse tema, dentro de uma perspectiva constitucional para tomada de decisão, seja do poder legislativo com modificações nas leis; seja na esfera executiva/policial com vigilância e prevenção.

Aqui no Brasil uma ótima apresentação foi realizada por André Cavalcante Hora e Zilton Cordeiro Junior sob o acompanhamento do professor Wagner Meira Júnior; no qual os autores utilizaram regras de associação no WEKA para descobrir regras para auxiliar na formulação de políticas e estratégias de policiamento. Até mesmo chegamos a formular uma base de teste chamadas Crimes, na qual é um pequeno mock-up baseado no projeto dos alunos citados.

A mineração de dados pode auxiliar na tomada de decisões relacionadas à esfera criminal e negar isso mostra não só desconhecimento, mas total ignorância com os recursos dessas técnicas que vem crescendo mais e mais ao redor do mundo.

O Atirador de Aurora em Perspectiva

Deixe o seu comentário inteligente e educado! :o)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s