A Mineração de Dados pode parar a matança? – Uma reflexão sobre o episódio do Atirador do Colorado e a Mineração de Dados

Até esse momento diversos sites já estão reportando a situação sobre o atirador do Colorado nos Estados Unidos e estão nesse exato momento acontecendo diversos debates (Controle de Armas, Vídeo Games, Políticas de Restrições de Liberdades, entre outros.) (http://www.nytimes.com/2012/07/21/us/shooting-at-colorado-theater-showing-batman-movie.html) que estão fora do escopo de atuação desse site.

Entretanto, o assunto serve como plano de fundo para uma discussão que envolve Mineração de Dados e desenvolvimento de políticas de acesso á dados e controle governamental sobre dados “privativos”. O artigo do Holman W. Jenkins, Jr do Wall Street Journal coloca a questão à mesa em uma visão sóbria e realista pegando como exemplo o massacre ocorrido.

O artigo realiza uma série de indagações sobre quando a mineração de dados poderá ser usada para  interromper esse tipo de matança (por isso o título original do artigo Can Data Mining Stop the Killing?) e sobre as discussões sobre o programa Total Information Awareness que regula sobre as questões de Data Gathering e Mineração de Dados sobre informações de todos os cidadãos dos EUA.

Mas há dois trechos do artigo que merecem um destaque especial, que são:

[…]The Colorado shooter Mr. Holmes dropped out of school via email. He tried to join a shooting range with phone calls and emails going back and forth. He bought weapons and bomb-making equipment. He placed orders at various websites for a large quantity of ammunition. Aside from privacy considerations, is there anything in principle to stop government computers, assuming they have access to the data, from algorithmically detecting the patterns of a mass shooting in the planning stages? […]

Tradução livre: O atirador do Colorado Sr. Holmes largou a escola via um e-mail. Ele tentou se filiar a um clube de tiro com chamadas telefônicas e e-mails indo e voltando. Ele comprou armas e equipamento para fabricação de bombas. Ele encomendou em diversos sites ampla quantidade de munição. Deixando de lado questões relacionadas à privacidade, há alguma coisa em princípio para interromper os computadores do governo, assumindo que eles têm o acesso aos dados, e detectar algoritmicamente os padrões de planos de chacinas em seus estágios iniciais?

 E esse trecho:

[…]The anguishing thing about mass-shooting incidents is that patterns are indeed present […]

Tradução livre: O angustiante sobre essas chacinas é que os padrões estão sempre presentes.

Utilizando como ponto de partida dessa reflexão, há uma frase que se enquadra bem nesse contexto que é “Quando a arma que mata é a mesma que defende a liberdade, os Santos choram; mas não acusam”. Isso quer dizer que partindo das indagações( justas) do Sr. Jenkins, bem como das diversas manifestações da American Civil Liberties Union (ACLU – Em tradução livre: União das Liberdades Civis Americanas) é possível dar duas respostas sobre essas perguntas: Não, e Sim.

A aplicação efetiva de Mineração de Dados na esfera pública, até mesmo no Brasil provou que é um campo que tem tudo para dar certo, se utilizada para o correto atendimento dos interesses gerais da administração pública; seja na área de economicidade (na qual trata o artigo) seja na área de segurança pública.

O fato é que hoje as empresas estão anos-luz à frente dos governos em relação à aquisição de dados, e principalmente na utilização desses dados para os mais diversos fins comerciais: cobrança, marketing direcionado, marketing político, design de produtos, disponibilização de linhas de crédito, e até mesmo predição de tendências comportamentais de consumo.

Dentro desse panorama, é de se espantar que associações de direitos civis se oponham de maneira ferrenha ao fato do governo poder ter essas informações consolidadas e para utilização para diversos tipos de aplicações para servir ao bem público (isso baseado e legislação específica, e com representantes e pautas de discussões eleitos democraticamente) sendo que informações como padrões de utilização de cartões de crédito, ligações telefônicas, e-mails, correspondências, informações sobre restrições e status de créditos bancários estejam na mão de empresas; as quais que além de tudo comercializam esses tipos de informações, seja via birôs de crédito e de informações; seja a comercialização de malas diretas.

Um praticante de mineração de dados razoável poderia modelar algo no mesmo sentido em que o colunista descreveu com determinada facilidade, contudo; a questão vai um pouco além do que foi descrito, e a mineração não pode tratada como a salvação em se tratando de crimes dessa natureza; pois, além das restrições legais, esse campo penaliza de forma severa erros de interpretação, os quais se hoje são a solução para auxiliar na esfera criminal em questão de prevenção, pode tornar um instrumento para criminalizar mais pessoas através de erros de interpretação.

Uma coisa que sempre este site faz questão de ressaltar é que a mineração de dados são um conjunto de técnicas que auxiliam na tomada de decisão, e que a ação propriamente dita é sempre condicionada, única e exclusivamente pelo agente humano através da interpretação dos padrões recebidos; e esse processo quase que dialético de extrair da expertise (conhecimento tácito) e do background técnico (conhecimento explicito) conhecimento para lidar com qualquer tipo de situação de acordo com os dados. Jogar na mineração de dados essa responsabilidade, é no mínimo preocupante, pois mostra ainda que as pessoas conhecem muito pouco do assunto e procuram uma bala de prata para resolver diversos problemas da sociedade; e é desse tipo de abordagem que a mineração de dados deve se afastar para não virar instrumento de um estado tecnocrático e policial que tem base valores totalitários e restritivos.

A discussão é interessante e está aberta, e cabe ressaltar que ainda haverá muita discussão nesse sentido nos outros países. Pena que ainda, nós brasileiros não acordamos para esse tipo de discussão.

 PARA LER

ACLU. Data Mining. Disponível em << http://www.aclu.org/technology-and-liberty/data-mining >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:22hs.

PEÑA, Charles V. Information Awareness Office Makes Us a Nation of Suspects. CATO Institute. Disponível em << http://www.cato.org/research/articles/pena-021122.html  >> Acessado às 24 Jul 12 às 22:23hs.

ACLU. Testimony of Barry Steinhardt, Director of the ACLU Technology and Liberty Program on Government Data Mining Before the House Government Reform Subcommittee on Technology, Information Policy, Intergovernmental Relations and the Census. Disponível em << http://www.aclu.org/national-security/testimony-barry-steinhardt-director-aclu-technology-and-liberty-program-government >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:22hs.

DARPA. DARPA’s S&T Privacy Principles. Disponível em << http://www.darpa.mil/About/Initiative/DARPA’s_S_T_Privacy_Principles.aspx >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:25hs

ACLU. Total Information Compliance: The TIA’s Burden Under The Wyden Amendment – A Preemptive Analysis of the Government’s Proposed Super Surveillance Program. Disponível em << http://www.aclu.org/files/FilesPDFs/aclu_tia_report.pdf  >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:26hs

ACLU. Technology And Liberty Program – A letter to Alex Türk. Disponível em << http://www.aclu.org/files/images/asset_upload_file750_34919.pdf >> Acessado às 22:38hs

SARMENTO SILVA, Carlos Vinícius; RALHA, Célia Ghedini. Detecção de Cartéis em Licitações Públicas com Agentes de Mineração de Dados . Revista Eletrônica de Sistemas de Informação. Disponível em << http://revistas.facecla.com.br/index.php/reinfo/article/view/754/pdf  >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:37hs.

NATH, Shyam Varan. Crime Pattern Detection Using Data Mining. Oracle Corporation. Disponível em << http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp=&arnumber=4053200&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fxpls%2Fabs_all.jsp%3Farnumber%3D4053200  >> Acessado em 24 Jul 12 às 22:40hs.

A Mineração de Dados pode parar a matança? – Uma reflexão sobre o episódio do Atirador do Colorado e a Mineração de Dados

Um comentário sobre “A Mineração de Dados pode parar a matança? – Uma reflexão sobre o episódio do Atirador do Colorado e a Mineração de Dados

Deixe o seu comentário inteligente e educado! :o)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s